Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, julho 05, 2012

Justiça libera suspeitos de arquitetar atentado contra prefeito de Coari

BRUNO STRAHM
 
Prefeito de Coari, Arnaldo Mitouso (Marcelo Cadilhe)
 
O Ministério Publico do Estado (MPE-AM) deu parecer favorável, nesta quarta-feira (4), ao pedido de soltura feito pela defesa de quatro acusados de planejar e executar o atentado contra o prefeito do município de Coari, Arnaldo Mitouso, ocorrido em Manaus em 2008.
O motivo alegado pelo MPE foi de que os suspeitos estão presos desde o mês de janeiro, e que novas diligências sobre o caso irão ocorrer, por isso, o quarteto teria de ser solto, afim de respeitar o tempo que uma pessoa que ainda não foi condenada pode ficar encarcerada.
A liberdade provisória foi concedida a Francisco Almeida, o ‘Cabeça’,  Moisés Muniz Cavalcante,  Alessandro  Freire Naranjo e George Alan Garcia Dutra. Eles permanecerão em liberdade até que a Justiça julgue o caso.
Ariomar Alencar, advogado do prefeito Arnaldo Mitouso e de Sebastião Celidônio Aires da Silva, vítimas do atentado, afirmou que não intervirá contra a soltura dos suspeitos. Segundo ele, essa iniciativa deve ser feita pelo próprio Ministério Público. Para ele, a coleta de provas e o depoimento de testemunhas  para o julgamento já aconteceram, impedindo a interferência das provas materiais. O processo encontra-se na fase de construção dos argumentos de defesa e acusação.
“Acredito que eles irão comparecer às oitivas e ao julgamento quando forem convocados para tal. Meu único receio é que com a soltura deles abre automaticamente espaço para que a defesa possa construir melhor seu caso” observa.

Atentado
O atentado ocorreu em 05 agosto de 2011, quando um veículo modelo Pálio, seguiu a picape Hilux, de cor prata, de placas JXM 6357, em que estavam Mitouso e o motorista, Sebastião Celidônio Aires da Silva. Poucos minutos depois de uma perseguição, o Pálio encostou ao lado da picape e seus ocupantes efetuara quatro tiros, dos quais dois atingiram o prefeito de Coari.
Em janeiro deste ano, os suspeitos de arquitetarem o atentado, entre eles, Francisco Pachola de Lima - secretário adjunto de Obras do município e homem de confiança do prefeito Mitouso -, foram presos. Pachola já havia sido solto e responde o processo em liberdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são Moderados: