Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

sábado, agosto 07, 2010

Adail Pinheiro insiste em ser candidato e já prepara defesa

Ex-prefeito de Coari deu entrada no pedido de registro de candidato a deputado estadual na última terça-feira (3), quando um dos 20 candidatos do PRP desistiu de participar do pleito


Adail pinheiro sendo conduzido por policiais federais após sua prisão (Luiz Vasconcelos)

O prefeito cassado de Coari e considerado inelegível no ano passado pelo Tribunal Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Adail Pinheiro (PRP), insiste em ser candidato e para isso não está medindo esforços a fim de garantir que seu registro seja deferido e ele possa concorrer entre os candidatos "ficha limpa" nas eleições de 2010 e, com isso, assegurar uma das 24 vagas de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).
O advogado de Adail, Yuri Dantas, já admite que o parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE-AM) deverá ser pelo indeferimento do registro do ex-prefeito e garante que seu cliente irá recorrer até a última instância para garantir a legitimidade da candidatura. O processo dele deverá entrar na pauta de julgamento na próxima semana.
Adail Pinheiro deu entrada no pedido de registro de candidato estadual na última terça-feira, quando um dos 20 candidatos do PRP, desistiu de participar do pleito. O advogado de Adail afirmou que irá recorrer em todos os graus caso o pedido de registro seja negado pela Corte Eleitoral do Amazonas.
Dantas tem se debruçado sobre a defesa do ex-prefeito. O advogado especialista em Direito Eleitoral preferiu não adiantar os argumentos que utilizará para defender Adail Pinheiro. "A defesa está sendo preparada, porque certamente o MPE irá impugnar a candidatura", declarou.

Campanha

Pela Resolução 23.191 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), todos os que apresentaram ao Tribunal pedido para concorrerem aos cargos nesta eleição poderão fazer campanha desde o dia 6 de julho, inclusive participar do Horário Eleitoral Gratuito. "A nossa esperança é que ele consiga justamente o registro. Se conseguir, é porque não está inelegível", afirmou. Yuri
De acordo com o procurador eleitoral, Edmílson Barreiros, Adail Pinheiro é o único candidato no Amazonas que se enquadra nas novidades trazidas pela Lei 135/10, conhecida como Ficha Limpa. “O ficha suja autêntico é o Adail, por enquanto. Ele é o que se enquadra na lei do ficha limpa, os outros impugnados todos se enquadravam na lei antiga”, declarou.
O presidente regional do PRP, Jackson Saldanha, declarou que DEM e PTB se precipitaram ao pedir a saída do PRP da coligação "Democracia e Trabalho". As duas siglas pediram a exclusão do PRP uma hora depois de Adail Pinheiro ter apresentado o pedido de registro.
* Com informações de Rosiene Carvalho
 
Fonte: ACrítica

sexta-feira, agosto 06, 2010

Você sabe qual a diferença entre drive e driver?

Quem trabalha diretamente com informática todo dia fala sobre drives de CD, drivers da placa de vídeo, driver da placa-mãe… Enfim são tantos drivers e drives que acabamos nos enrolando com essas duas palavrinhas. Descubra hoje de uma vez por todas quando se deve usar a palavra driver e a palavra drive.
Lula-em-dúvida14 O driver, com R no final, faz referências àqueles softwares que o sistema operacional precisa para fazer o seu hardware funcionar. Sabe quando compramos uma placa de rede e precisamos instalar um programinha pra ela funcionar? Esse programinha é o driver da placa de rede. Abaixo temos alguns exemplos de uso:
Vou baixar o driver da placa-mãe;
Você tem o driver de som deste computador?
Não encontrei o CD que contém os drivers do chipset
Já o drive, sem o R, faz referência às unidades de armazenamento e leitura de dados, como as unidades leitoras de CD-ROM e Disquete. Abaixo temos alguns exemplos de sua utilização no cotidiano:
Meu drive de CD está quebrado;
Você poderia me emprestar seu drive de disquete?
Uma coisa tão simples mas que costumamos errar tanto, não é? Depois dessa explicaçãozinha nunca mais você vai errar e chamar um driver de placa-mãe de drive, ok?
É o driver quem controla o drive :D

Indiciado por 17 crimes pela PF, Adail se candidata a deputado

Ex-prefeito de Coari por oito anos é acusado de desvio de mais de R$ 85 milhões de verba pública e de exploração sexual infantojuvenil. Ele chegou a ser preso em setembro de 2009.
Adail Pinheiro chegou a ser detido pela Polícia Federal. Foto: Danilo Mello Adail Pinheiro chegou a ser detido pela Polícia Federal.


Manaus - O ex-prefeito de Coari Adail Pinheiro (PRP) indiciado pela Polícia Federal (PF), na operação Vorax em 2008, por pelo menos 17 crimes, acusado do desvio de mais de R$ 85 milhões e que responde a processo sob a acusação de exploração sexual infantojuvenil, quer ser deputado estadual. Ele entrou com pedido de registro de candidatura no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) para disputar as eleições pela coligação ‘Democracia e Trabalho’.

Adail entrou na coligação no lugar de Antonio Benigno Pinto (PRP), que renunciou à candidatura na última terça-feira.

O pedido de registro de candidatura de Adail foi protocolou pela coligação, integrada pelos partidos PTB, DEM e PRP, às 17h48 de quarta-feira, último dia para substituição de candidatos a deputado. A juíza Joana dos Santos Meirelles é a relatora do processo. Adail, segundo o coordenador da Comissão de Registro de Candidatura, Paulo Germano, será intimado hoje para apresentar “certidão de objeto e pé” a respeito do andamento processual de cinco ações que tramitam contra ele.

Adail foi prefeito de Coari por dois mandatos, de 2000 a 2008. Em 2004, foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas o então ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Maurício Corrêa, concedeu liminar devolvendo o mandato. Na época, ele já respondia a processo por abuso do poder econômico e, em 2009, foi condenado pelo TRE-AM pelo mesmo crime, juntamente com o ex-prefeito Rodrigo Alves, com pena de inelegibilidade por três anos.

O ex-prefeito chegou a ser preso, em setembro de 2009, por ter mudado de endereço sem comunicar à Justiça. Acusado de pedofilia, Adail foi levado ao Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) e depois para o Batalhão da Cavalaria da Polícia Militar (PM).

Em março deste ano, o Tribunal de Contas da União (TCU) julgou irregulares as contas do ex-prefeito na aplicação de recursos da Caixa Econômica Federal (Caixa) para a melhoria do sistema de abastecimento de água, construção de meios-fios, sarjetas e calçadas em ruas dos bairros de Coari. Adail foi condenado a devolver R$ 700 mil e a pagar multa de R$ 20 mil. Em junho, o presidente do TCU, ministro Ubiratan Aguiar, entregou a lista com os nomes dos inelegíveis de todo o País ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski. Entre os nomes do Amazonas está o de Adail Pinheiro.

Segundo Paulo Germano, o trâmite do pedido de registro do ex-prefeito é o mesmo dos outros 415 candidatos. Ele terá 72 horas para apresentar as certidões de objeto e pé e a partir da publicação do pedido de registro pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começa a contar o prazo para eventual impugnação à candidatura de Adail.

Ficha Limpa
No mutirão de julgamentos de registros de candidatura que aconteceu ontem, no TRE-AM, foi julgada a primeira candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) usando como base a ‘Lei da Ficha Limpa’.

Marilene Corrêa (PT), candidata ao cargo de senadora pela coligação ‘O Amazonas Melhor Para Todos’, teve o registro impugnado por desaprovação de contas referentes à gestão da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na qual a candidata exercia o cargo de reitora.

Na diligência solicitada pelo relator do processo de registro, juiz Victor Liuzzi, a candidata comprovou, que em um dos fatos relacionados pelo MPE, as contas reprovadas eram referentes à gestão do ex-reitor Lourenço Braga. No outro fato, de acordo com o advogado de Marilene, o acórdão que o MPE utilizou para impugnar o registro da candidata ainda não foi público pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).
O primeiro suplente de Marilene, Helder Cavalvante (PR), e a segunda suplente, Gilza Batista (PT), também foram impugnados pelo MPE, mas os juízes eleitorais analisaram que os problemas com a documentação foram corrigidos. Ao final, os três candidatos tiveram o registro deferido pelo TRE-AM, mas o procurador Regional Eleitoral, Edmilson Barreiros Júnior, pediu vistas do processo para analisá-lo e decidir se recorre da decisão plenária.


Fonte:  D24AM

Justiça Eleitoral decide hoje se Adail Pinheiro pode ser candidato

Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas define em sessão extraordinária se "ficha-suja" do ex-prefeito de Coari o permite ser candidato nas eleições deste ano. Ele já foi considerado inelegível pelo TRE/AM e responde a processo por supostamente comandar uma quadrilha 

Rosiane Carvalho

Mesmo considerado inelegível numa decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE/AM) em 2009, o prefeito cassado de Coari Adail Pinheiro apresentou pedido de registro de candidatura para participar das Eleições 2010. O pedido foi protocolizado no último dia do prazo para substituições de candidatos por parte dos partidos, quarta-feira (3).
Em julho do ano passado, o TRE/AM cassou o então prefeito de Coari, Rodrigo Alves, e dois vereadores do município, por abuso do poder econômico e compra de votos. Na mesma decisão, tornou Adail Pinheiro inelegível por ele ter promovido distribuição de R$ 4 milhões em prêmios durante as festividades dos dias das mães pela Prefeitura para eleger o sucessor.


O prefeito cassado, Rodrigo Alves, também constava na lista dos inelegíveis do Tribunal de Constas da União (TCU) apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) este ano. Adail Pinheiro, que esteve à frente da Prefeitura de Coari por oito anos Coari, foi acusado pela Polícia Federal, na Operação Vorax, de comandar uma quadrilha que fraudou licitações e desviou milhões dos cofres públicos de Coari.


Fonte: ACrítica

quinta-feira, agosto 05, 2010

Adail é candidato ?

O ex-prefeito Adail Pinheiro já é candidato a deputado Estadual. Ontem ele deu entrada no seu pedido de registro à Justiça Eleitoral, depois que Antônio Benigno Pinto, um dos candidatos inscritos pelo PRP a Assembleia Legislativa, abriu mão da vaga.  A reação do DEM e do PTB, que estão coligados com o PRP, foi imediata. O advogado  Luiz Felipe Avelino ingressou hoje com um recurso in: formando ao TRE que o PRP não faz mais parte da coligação.

Adail conseguiu a documentação necessária para a inscrição, mas algumas certidões apontam que ele foi condenado e se encontra inelegível. A intervenção  do Ministério Público Eleitoral deve ser decisiva para brechar a pretensão do ex-prefeito. Mas o TRE terá que reunir e julgar logo o caso. Se não o fizer,  Adail, mesmo com muitos problemas legais, poderá concorrer a uma vaga de deputado estadual.

Fonte: Blog do Holanda