Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, maio 06, 2009

Entenda a Novela Caminho das Índias


A cada capítulo, os indianos de "Caminho das Índias” te deixam curioso com suas atitudes, rituais e crenças?

Então este é o espaço certo para você matar a sua curiosidade.

Aqui as 46 dúvidas mais comuns:

  1. Os indianos não comem carne?
    Nem todo indiano é vegetariano. Na Índia tem islâmicos, cristãos e judeus que comem carne. Os hindus, dependendo da casta à que pertencem, não comem carne de espécie alguma. Se eles forem sudras (trabalhadores braçais) comem cordeiro, frango e aves menores e não comem vacas, pois a vaca para todo hindu é um presente da mãe divina Laksmi e abastece a todos com leite, queijo, manteiga e coalhada. É como se ela fosse uma irmã da classe humana. Para os hindus, existe uma hierarquia evolutiva no planeta. O reino mineral, o reino vegetal, o reino animal (que é subdividido em crustáceos, peixes, aves e mamíferos) vão se aproximando do ser humano, que também tem sua escala evolutiva de acordo com o estágio em que se encontra. Os animais que estão mais perto da escala humana são as vacas, os elefantes e os macacos. À medida que os humanos vão evoluindo, vão se alimentando de forma mais distante de sua classe.

  2. O que significa uma mulher rechaçada?
    É quase uma dalit. Ser rechaçada é não ser aceita por nenhum pretendente. É mais que ser encalhada. É uma humilhação grande, pois a mulher fica com um estigma de condenada à solidão matrimonial. As mulheres são rechaçadas por razões graves, de ordem moral.

  3. Por que é a mulher que guarda a chave do cofre da casa?
    A mulher é a manifestação, na terra, da mãe Laksmi, a deusa da prosperidade, por isso é tradição que ela guarde a chave do cofre. Além disso, os indianos consideram importante a palavra da mulher em uma decisão financeira. Essa é uma sabedoria antiga que garante a segurança material da família, pois acredita-se que a mulher protege mais os interesses dos familiares que o homem.

  4. O que quer dizer firanghi estrangeira?
    Estrangeira em hindi (língua dos indianos) é pradessi ou obdessi. Em inglês é foreign. O inglês é muito usado na Índia porque boa parte do país foi uma colônia inglesa até 1947. Do foreign, em inglês, virou firanghi, pela pronúncia misturada. Então firanghi significa o mesmo que estrangeira.

  5. Por que os indianos abrem a porta de casa para a deusa Laksmi entrar?
    A mãe divina Laksmi é a deusa que traz prosperidade e beleza para a terra, por isto existe esta espécie de superstição. Quando começa a escurecer os que têm mais devoção por ela acendem uma lamparina na porta da casa e deixam a porta aberta para que ela possa passar. Este é um costume bem antigo e é como uma forma de lembrar que a prosperidade depende das graças da divina Laksmi. Depois que já escureceu, volta-se a fechar a porta da casa.

  6. O que significa fazer uma puja para Ganesha?
    Puja é uma cerimônia ou um ritual que se faz para uma deidade, neste caso Ganesha, que é a divindade mais popular na Índia. Incensos e lamparinas são acesas, flores são oferecidas, mantras do sagrado Vedas são cantados. Além disso, também são oferecidas comidas como coco, doces e o Dhal que é uma iguaria da culinária indiana feita de lentilhas, grão de bico, ou até legumes batidos. O dhal é sempre meio líquido, meio pastoso, assim como o feijão batido dos brasileiros.

  7. A viúva para os indianos
    Na legislação indiana não existe nada que proíba uma viúva de se casar de novo. Mas as leis de Manu diziam que uma viúva teria que permanecer sem casar, honrando a memória do marido. Depois da invasão islâmica, surgiu a prática das Satis, na qual viúvas iam para a pira (fogueira) do marido e se queimavam junto com o corpo dele para não serem pegas pelo invasor muçulmano.A atual presidente da Índia, Prathiba Patil, é uma viúva, mas existe uma superstição de que elas não trazem boa sorte por terem perdido o marido. No , muitas viúvas usam o luto na cor preta enquanto na Índia elas usam saris na cor branca.

  8. Quem foi o Dr. Ambedekar?
    Ele foi companheiro de Gandhi na luta pela independência e se tornou um herói para a Índia. O Dr. Ambedekar era um pária ou dalit (sem casta), mas conseguiu se doutorar em economia e é um dos autores da constituição indiana, que tem leis de caráter humanitário, como a proibição do preconceito de toda ordem, inclusive de castas. Gandhi, Vivekananda e Dr. Ambedekar são reformadores dos hábitos hindus assim como Buda.

  9. Por que os comerciantes fazem um ritual antes de abrir suas lojas?
    A casta de comerciante (Vaisha) tem muita devoção com a mãe divina Laksmi, pois ela é a deusa que traz prosperidade. No inconsciente coletivo dos comerciantes, ela poderá trazer um bom movimento para seu comércio.Além do ritual que se resume em acender um incenso e uma lamparina repetindo alguns mantras sagrados para Laksmi, é necessário limpar e arrumar o estabelecimento, pois ela não entra em locais sujos e desorganizados. Em todo comércio de hindus há uma imagem de Ganesha e de Laksmi, pode ser uma pintura ou uma escultura.

  10. Por que os indianos dão tanta importância aos filhos homens?
    As sociedades em geral colocam o homem em uma posição privilegiada: a judaico-cristã, a islâmica, a chinesa, a japonesa etc. Na Índia, nem sempre foi assim. Lá a mulher sempre teve um papel de maior importância por ser a Matrika (matriz), a célula máter da sociedade hindu, aquela que cria e educa. Mas depois de diversas invasões islâmicas, mongóis e europeias, o homem, exercendo a função de caçador, lavrador e criador de riquezas, foi assumindo essa posição por estar à frente na produção. O filho homem passa a ser o herdeiro, aquele que vai garantir o sustento da família quando o pai morrer, ficando assim incumbido de acender a pira funerária do pai quando chegar o momento. Portanto, essa tradição é uma herança trazida de fora da Índia, incorporada nos costumes de uma sociedade basicamente matriarcal, antagonicamente transformada em uma sociedade patriarcal.

  11. O que quer dizer ulu?
    A palavra ULU em híndi (uma das línguas mais utilizadas na Índia) significa coruja, mas é usada para se referir a uma pessoa boba. Quando dita com humor é uma brincadeira, mas quando é falada com raiva é pejorativo. Nos idiomas falados na Índia não existem muitos palavrões, mas esse é um deles. ULU KA PATA que quer dizer ULU=bobo, Ka=de e PATA=filho. Ou seja, filho de bobo. É engraçado como as palavras têm significados diferentes nas culturas. No Ocidente, coruja é sinônimo de sábio e o animal burro é sinônimo de pessoa ignorante. Já na Índia, coruja (ULU) tem o sentido de bobo, que não utiliza o cérebro, e GHORA, que é o burro, tem o sentido de trabalhador.

  12. Por que os indianos acreditam que as viúvas dão azar?
    Isso é uma superstição. Quando se vê uma viúva no início do dia, presume-se que o dia vá ser difícil, pois as viúvas carregam um karma pesado por terem perdido os maridos. É muito raro encontrar uma família indiana que não tenha uma viúva em casa, pois as mulheres vivem mais que os homens na Índia e os integrantes das famílias vivem juntos na mesma casa. Existem também os viuvários, uma espécie de asilo sustentado pelo governo ou instituições de caridade que abrigam viúvas que não têm como se sustentarem. As viúvas que não tiveram filhos passam por dificuldades, sofrendo um karma ruim, e são vitimas de preconceito de trazerem má sorte.

  13. Por que os filhos tocam os pés dos pais na Índia?
    Essa é uma tradição milenar. Tocar os pés dos pais e dos sábios em sinal de respeito pelos caminhos que eles já trilharam é uma prática comum em toda a Índia. Esse respeito traz benção aos que tocam, pois essas pessoas recebem mantras de benevolência e longa vida, além de ensinamentos. Antigamente, no Brasil, os filhos pediam a benção aos pais e avós e beijavam a mão direita. Os pais e avós respondiam “Deus te abençoe”. Isso hoje é muito raro aqui no ocidente. O hábito de pedir benção aos mais velhos continua fazendo parte dos costumes na Índia. Às vezes as pessoas se deitam no chão com as mãos estendidas aos pés de quem é reverenciado.

  14. Como é a noite de núpcias dos indianos?
    As núpcias dos indianos são muito diferentes das dos ocidentais. Um fato curioso, por exemplo, é a reação da família do noivo nessa noite. O casal vai para a casa da família do homem após o casamento e os familiares dele ficam tentando ver o que acontece através do buraco da fechadura. Assim como aconteceu com Maya e Raj, que tiveram que pendurar um pano na maçaneta para que Indira, Nayana, Sonya, Chanti, Rani e Durga não conseguissem ver nada. Além disso, a relação do casal é um ritual para a elevação espiritual. Em geral, ela é mais sutil. Uma boa metáfora, segundo Elson de Barros Gomes Jr, cônsul da Índia em Minas Gerais, é como uma panela de água fria com embaixo que vai esquentando aos poucos. Um vai ganhando o outro. O parceiro vai perdendo a própria identidade e vai virando o outro. É um processo bastante lento. Para proporcionar prazer, o homem estimula os sentidos da esposa. Justamente por isso, um dos rituais da relação sexual dos indianos envolve a comida. O homem tem que dar comida na boca da mulher. É um culto ao feminino. Os indianos também usam os ensinamentos do kama sutra para conduzir suas relações. Saiba aqui o que é o kama sutra!

  15. O que é o vice-noivo e a vice-noiva?
    Essa tradição é como se fosse um ensaio aproveitando a cerimônia oficial que está acontecendo. Para um ocidental entender melhor, é igual aos padrinhos e madrinhas que existem no casamento ocidental. O vice-noivo e a vice-noiva têm o mesmo sentido prático dos nossos padrinhos. Essa tradição não é praticada em toda a Índia, apenas em algumas regiões, mas é bem curiosa e divertida, pois é uma honra ser escolhido(a) para ser vice-noivo ou vice-noiva. Essa escolha tem que ser bem feita. O vice-noivo e a vice-noiva precisam ser pessoas que realmente desejam trazer sorte para os que estão se casando.

  16. O que é o Kama Sutra?
    Kama significa prazer e Sutra é arte ou preceito. Na realidade, Kama Sutra é uma coletânea de textos filosóficos de diversas origens orientais, escritos na Idade Média. Uma das origens é o tantra, que é uma prática milenar envolvendo corpo, mente e espírito e de amplo processo de assimilação e síntese do pensamento da Índia. No Ocidente, existe um maniqueísmo separando o profano do sagrado. Já na Índia o erótico é sagrado e desenvolver todas as formas de prazer é ir em busca da evolução espiritual. Incontáveis e complexas são as práticas e os métodos, mas a essência está em um ponto de poder criativo e este poder é feminino. Desse único centro todo o universo foi gerado. Por isso, praticar o Kama Sutra original (e não algumas traduções deturpadas que existem por aí) é uma prática de adoração ao feminino, à mulher ou à Sakti (energia primordial do universo). Esse ato de adoração é intenso e utiliza todos os sentidos: olfato, paladar, tato, visão e audição, aumentando gradativamente o prazer. Há um controle masculino para o prolongamento do prazer feminino, a ponto de o casal perder a identidade. Masculino e feminino ficam ligados de uma forma tão estreita e profunda que não se pode considerar qualquer diferença entre eles. Para o hindu, essa prática tem como objetivo a elevação espiritual.

  17. O que significa a pintura vermelha que homens e mulheres usam na testa?
    O centro da testa, entre as sobrancelhas, é o lugar psíquico mais importante do corpo humano e sua importância é ressaltada na Índia através de uma marca colorida colocada nesse lugar. Esse ponto central é onde o sexto chakra (Ajna) está localizado. Ele é também chamado de terceiro olho ou olho da sabedoria. Os praticantes de yoga e os devotos hindus tem o objetivo de “abrir” o terceiro olho com meditação constante. Essa “abertura”’ significa a unificação do consciente com o subconsciente, o ponto onde todos os elementos de dualidade se fundem em uma só entidade universal. Todos os ritos e cerimônias dos hindus começam com um uma marca vermelha forte (tilak) coberta por alguns grãos de arroz colocados no ponto com o dedo indicador ou o polegar. O mesmo costume é seguido em festas de chegada ou de despedida de parentes ou convidados.O material mais comum para se fazer essa marca é o “kumkum”, o pó vermelho que é uma mistura de turmeric (tempero extraído do açafrão), alume, iodo, cânfora, entre outros ingredientes. Outro material bastante usado é a pasta de sândalo misturada com almíscar. Esse último tem um forte efeito refrescante e é normalmente preparado para aqueles que meditaram por um longo tempo.

  18. O que é a bolinha de Shiva?
    É um doce feito para ser oferecido ao deus Shiva e depois comido. É uma tradição das mais antigas oriundas da época dos Nagas (pré-história indiana), antes dos Dravidianos e Arianos. Esta bolinha é feita de noz de bétel embrulhada no pan ( encontrada somente na Índia) e dá um efeito alucinógeno brando quando ingerida. Os shivaitas, os sadhus (renunciados) e os naga babas são os que mais fazem esta oferenda.

  19. Como funcionam as castas?
    Existem vários sistemas de organização de uma sociedade: o sistema capitalista, o socialista etc, Mas antes desses sistemas existiam outros que não eram baseados na propriedade, no “ter”, e sim no “ser”, como o sistema de castas. Este sistema foi criado por um legislador conhecido como Manu. Nele, a sociedade era dividida pela natureza das pessoas, seu amadurecimento espiritual e as funções que elas exerciam, e não pelo tanto de bens que possuíam. Se as pessoas tinham a natureza intelectual eram brâmanes e exerciam a função de professores, sacerdotes etc. Esses tinham suas obrigações ou regras como, por exemplo, não comer carne e tomar três banhos ao dia. Se as pessoas tinham natureza guerreira eram Xatrias e exerciam funções militares e administradoras, como governar e defender os demais. Esses tinham regras diferentes das dos brâmanes. Depois vinham as pessoas de natureza empreendedora, como fazendeiros, mercadores e comerciantes chamados Vaishas, que tinham a função de gerar riquezas para a sociedade. Por último vinham os Sudras de natureza servil. Essas são pessoas que se sentem felizes em servir seus semelhantes e exercem funções de trabalhadores braçais. As obrigações desses são mais brandas. Aos Sudras é permitido comer carne de cordeiros e aves e eles têm padrões menos rígidos de higiene.A princípio existiam essas quatro varnas, como eram chamadas as castas. Depois foram surgindo outras subcastas. Os que não obedeciam as regras básicas de sua casta ou cometiam delitos considerados graves eram expulsos da casta pelo conselho de anciões, se tornando párias que os ingleses chamariam mais tarde de dalits ou intocáveis. Gandhi, Dr. Ambedekar,Vivekananda passaram a lutar pelo fim desse sistema, que funcionou por milhares de anos na Índia e em outros países vizinhos. O sistema de castas foi abolido na constituição indiana pelos preconceitos que geravam na sociedade moderna. Hoje ele é considerado uma violação dos direitos. Porém esses hábitos estão, de certa forma, no DNA do hindu e em diversas aldeias rurais esses costumes enraizados permanecem.

  20. Por que os indianos precisam dominar seus instintos quando chegam a certa idade?
    O Sanatana Dharma, que é a lei eterna do hinduísmo, diz que o objetivo do ser humano em encarnar na terra é evoluir, ou seja, melhorar, independentemente do estágio em que se encontra. Ao passar pela terra, quatro fases acontecerão na jornada do ser humano. Na primeira, bramacharia, que acontece até os 25 anos, predomina o aprendizado. Na segunda, que acontece dos 25 aos 50 anos, ele entra na fase de Sahastra, ou seja, formação de família, onde predomina dois aspectos humanos: Kama (prazer) e Artha (riqueza material). Esta fase é voltada para gerar filhos e ganhar o dinheiro necessário para o sustento da família. A terceira fase é a Vanapastra, onde o ser humano começa a se desligar do mundo e a se dedicar a atividades mais espirituais. A quarta fase, Sanyasi, acontece nos últimos 25 anos de permanência na terra e se caracteriza pela renúncia a todos os desejos. Nessa fase, o homem tem que controlar os sentidos e se desapegar dos bens materiais, pois está terminando a sua viagem a este planeta e, como o objetivo é a evolução, ele não irá levar nada a não ser a sabedoria adquirida. A melhor comparação é a já feita por Shankar em capítulos anteriores: o ser humano é como uma carruagem puxada por cinco cavalos. Os cavalos são nossos sentidos, a carruagem nosso corpo, o cocheiro nossa mente que controla a força dos sentidos para irmos na direção que o passageiro, nosso espírito e dono da carruagem, deseja. Se deixarmos os cavalos sem controle eles poderão ir a destinos que não nos interessa e a carruagem, nosso corpo, sofrerá na viagem.

  21. Por que os indianos dizem que o cérebro de alguém congelou?
    Esta é uma expressão muito usada na Índia para dizer que a mente da pessoa está hibernando. Ou seja, a pessoa não está usando a cabeça, as faculdades mentais estão paralisadas. Se o cérebro está congelado, ele não está sendo utilizado. É uma expressão que, às vezes, é até ofensiva, mas, na maioria das vezes, é apenas uma brincadeira.

  22. Por que a água do rio Ganges tem o poder de cura?
    Ganga é uma das mães divinas da Índia. Para os hindus o rio é feminino e é sagrado desde as primeiras civilizações. Suas águas representam limpeza, e por isto, têm o poder de cura. Além disso, a nascente do rio vem do Himalaia, que recebe sua energia direto do cosmos, através dos cabelos de Shiva. É uma questão de fé e ciência ao mesmo tempo. Para qualquer situação física ou espiritual, a limpeza é fundamental para os hindus. Um brâmane, por exemplo, tem que tomar, no mínimo, dois banhos diários.

  23. O que é o Mangala Sutra?
    É um colar que as mulheres usam quando se casam na Ìndia. Ele representa um colar de compromisso, de ligação, e é sempre uma joia muito bonita, com status de obra de arte. Este simbolismo vem do significado desta palavra em sânscrito. “Mangala” quer dizer lealdade, fidelidade, auspicioso, ou seja, aquilo que é bom para os dois e “sutra” é arte ou preceitos. Assim como no Kama Sutra onde Kama é prazer e kama sutra é arte do prazer. É comum um rapaz apaixonado dizer para uma moça que não vê a hora de colocar o mangala sutra nela.

  24. O que significa colocar uma cadeira na porta?
    Esta é uma das muitas superstições, que diferem de região para região da Índia. Colocar a cadeira na porta significa que alguém tem que sair daquela casa. Em algumas regiões do Brasil também existe esse costume. Às vezes é colocada uma vassoura na porta ou uma cadeira ou um objeto de uso pessoal, como um pinico.

  25. O que acontece com o corpo dos indianos depois que eles morrem?
    Os indianos hindus, jainas e siks são cremados em fornos crematórios ou em piras de lenha, nas margens do rio Ganges ou de outro rio sagrado. Os muçulmanos são enterrados com um pequeno morro, os cristãos com uma cruz e os judeus com uma de David. Já os parsis são colocados em uma torre (torre do silêncio) para que seus corpos voltem para a natureza após serem comidos por pássaros.As mulheres não participam dos funerais de crematórios por elas serem mais sensiveis e mais apegadas. Demonstrando o sentimento de sofrimento pela perda do ente querido morto, elas estarão dificultando a liberaçao deste morto, prejudicando assim o falecido em desapegar.

  26. O que significa ser um dalit?
    Dalit ou intocável é um termo usado inicialmente pelos ingleses para designar as pessoas que, dentro do costumes hindus baseados nas leis de Manu, foram expulsas de sua casta. Isto é, pessoas que cometeram algum delito grave, como roubo, estupro, assassinato… O conselho de anciões expulsou essas pessoas do sistema de castas, ficando elas fadadas a humilhações e condenadas a só poder fazer trabalhos de limpeza nas ruas, crematórios, esgotos etc.Filhos e netos de dalits também são dalits. A justificativa é que se alguém nasce numa família de dalit é porque, em outra vida, fez alguma coisa para merecer este nascimento, pois o karma de pais e filhos é interligado. Se uma pessoa tem um nascimento em uma casta superior com facilidades materiais e intelectuais é porque também mereceu este nascimento privilegiado. Este sistema é ainda usado em algumas aldeias rurais, apesar de as leis indianas proibirem qualquer tipo de discriminação de casta, raça ou credo.

  27. Por que a noiva ganha roupas novas para o casamento?
    O casamento para um hindu é como uma nova encarnação. É a entrada em uma nova vida e, para isso, é melhor que as noivas usem roupas novas para não ficarem apegadas à vida anterior. É como se elas trocasse de corpo, pois a roupa é como um corpo provisório para os indianos. Esse costume é um treinamento para o desapego e, ao mesmo tempo, uma tentativa de levar sorte para a nova fase.

  28. Quem é Krishna?
    “De tempos em tempos, quando há um declínio da bondade e uma ascensão da maldade humana, Vishnu (Deus) pessoalmente vem entre nós como um Avatara (encarnação divina) para aniquilar o mal e restabelecer a religião”, Bagavad-Gita.Esse é um trecho do livro sagrado dos hindus que explica que, de tempos em tempos, nasce na Terra um grande ser, assim como há mais ou menos cinco mil anos atrás nasceu Krishna, em sua forma original.Apesar de pertencer a uma dinastia de reis, ele foi criado como um pastorzinho de vacas numa cidade pequena chamada Vrindavana, onde cresceu como uma criança travessa e extraordinária. Executando atividades que, devido a sua potência ilusória, pareciam comuns aos olhos de quem o rodeava. Ele cresceu e se transformou em um fascinante rapaz (Gopala), que ao simples toque de sua flauta encantava o universo inteiro, e atraia a atenção das mocinhas locais, principalmente de sua eterna consorte Radha. Eles formam o casal supremo, os deuses absolutos da devoção e do amor. Para entender quem é Krishna precisamos ler o Bagavad-Gita, do Mahabarata, que conta a maravilhosa história de sua vida e ensinamentos aqui na Terra.

  29. O que é uma maharani?
    Maha quer dizer grande e rani quer dizer rainha, portanto maharani é uma rainha. Assim eram chamadas as esposas dos marajás que antes de 1947 governavam um terço do território da Índia atual que, além das colônias britânicas, portuguesas (Goa Damao e Diu) e francesa (Ponticherry), incluía 565 reinados. Essas Maharanis viviam nesses reinos, como em verdadeiros contos de fadas, em palácios maravilhosos, com manadas de elefantes, vagões luxuosos, carros chiques, muitas joias e festas indescritíveis.Apos expulsar os ingleses, Gandhi tornou a Índia um único país. Esses nobres entregaram o poder para essa unificação, mas continuaram com o status da família que vieram. Em Jaipur, por exemplo, a maharani era Gayatri Devi que faz 90 anos no dia 23 de maio deste ano. Ela é viúva do marajá Man Singh ll. Mesmo não tendo poder político, ela é adorada pela população de Jaipur. Quando uma mulher é bonita, fina, educada, enfim, tem muitos atributos, os indianos costumam chamá-la de maharani como um valioso elogio.

  30. Por que as mulheres voltam para a casa dos pais para ter seus filhos?
    Elas voltam para a família de origem para se sentirem mais seguras com a ajuda da mãe. Afinal, as mães dão segurança emocional na hora do parto e nos primeiros dias do recém-nascido, até o umbigo secar e cair. Existem muitos rituais e tradições nesses momentos.Na maioria das vezes, as mulheres passam alguns dias na casa da mãe, mas há também a possibilidade, principalmente quando o casal mora sozinho, de a mãe passar esses dias na casa da filha, até que ela se sinta mais segura. Aí a sogra e a mãe interagem, dando apoio à mulher que está colocando um novo ser no mundo.

  31. O que é rangoli?
    Rangoli são desenhos geométricos (yantras) ou de figuras, feitos com pós coloridos para enfeitar as entradas das casas. Eles são bastante usados no festival de Diwali (ano novo hindu), dando assim as boas vindas aos deuses e a todos os convidados, que não deixam de ser divindades quando visitam as casas. Os rangolis também são usados em outras ocasiões especiais e aupiciosas, como a preparação para a chegada de um recém-nascido na familia, para que ele saiba que é super bem vindo. Essa é uma tradição milenar que permanece até os dias de hoje. A criatividade, a harmonia nos desenhos e as cores são os ingredientes que mais realçam os rangolis. Cada casa quer fazer o mais bonito! No interior do Brasil também tem essa tradição no feriado de Corpus Christi, quando as ruas são enfeitadas com desenhos coloridos para as procissões passarem.

  32. O que quer dizer “baguan kelie”?
    Baguan é uma das formas de pronunciar o nome de Deus, e Baguan Kelie é uma expressão muito usada que significa: “por Deus”, “meu Deus”, “que é isso meu Deus?
    ”. Na linguagem popular, essas expressões são usadas de forma automática, entrando nos diálogos sem serem percebidas por quem as pronuncia. É uma espécie de gíria, como no Brasil, quando as pessoas falam, sem perceber, “Nossa” (de Nossa Senhora), “Meu Deus do Céu”, “Virgem Santa”, variando de região para região.

  33. O que quer dizer “suniedy”?
    Essa é uma forma respeitosa de pedir atenção. Suniedy vem do verbo sunna, que quer dizer escutar, em híndi (língua mais falada na Índia). É uma maneira mais carinhosa de dizer: preste atenção, me escute, por favor, geralmente usado entre casais, para pedir atenção sem precisar pronunciar o nome da pessoa para quem se dirige. É bastante comum os casais hindus terem nomes (próprios ou apelidos) que só são pronunciados na intimidade da relação e nunca na presença de estranhos, então usam a expressão suniedy para se comunicar perto das outras pessoas, é como dizer “bem”, “querido(a)” etc.

  34. Por que as indianas ameaçam se atirar em um poço?
    As mulheres indianas são bem dramáticas. Elas usam frases de retórica para impressionar os maridos de forma bem caricata: “vou tomar veneno”, “vou me atirar em um poço”, “vou incendiar meu sári”, “vou amarrar uma pedra e me atirar no Ganges”. Essa forma dramática de representar das indianas tem um fundamento, pois se isso realmente acontece, o responsável psicologicamente é o marido. E ele ficará envergonhado pelo resto de sua vida por ter sido causa de uma tragédia com sua Sakti (esposa). Sua honra será atingida profundamente, além de perder a esposa. Isso, na maioria das vezes (ainda bem), é apenas retórica para causar impacto na consciência do marido. Em se tratando de Maya, ela realmente estava a ponto de atitudes desesperadoras, ainda bem lhe faltou coragem.

  35. Quem é Hanuman?
    Ele é o” filho do vento”, o maior de todos os devotos. Hanuman lutou com seu exército para resgatar Sita das mãos do rei Ravana do Sri Lanka e construiu uma ponte da Índia para Lanka. Suas histórias são fantásticas. Não existe nenhuma missão que ele não cumpra.Na epopeia do Ramayana, ele pertence ao reino do rei Sugriva, no sul da Índia, uma raça intermediária (já extinta) entre o homem e o macaco. Porém, Hanuman é eternamente vivo. Ele nunca será extinto dos e mentes dos hindus. Ele é o protetor das mulheres, usando o nome sagrado de Sita (esposa de Rama) e de Rama.É comum meninas, moças e mulheres irem ao templo para cantar o mantra “Ram Nam” e colocarem uma almofada ao lado para Hanuman se sentar. É necessário ler o Ramayana para entender a força de Hanuman. Ele tem Sita e Rama dentro do seu . Sua força é indescritível. Somente ele é capaz de trazer o Himalaia nas costas para conseguir uma erva para salvar Laksmana, o irmão de Rama. Ele é o eterno herói da Índia!

  36. Indianos não consomem bebidas alcoolicas?
    Na Índia, tem hindus, siks, jainas, islâmicos, cristãos, parsis e inúmeras outras filosofias de vida. Existem os indianos mais ortodoxos, que não aceitam bebidas alcoolicas e os que bebem diversos tipos de vinhos. Até a cachaça brasileira já esta sendo consumida com açúcar, gelo e limão. A famosa caipirinha já é famosa na Índia. Em Goa, tem uma cachaça de cajú que é muito apreciada por longos séculos. O que acontece é que em diversas cerimônias não é permitido o consumo de bebidas alcoólicas, só são servidos lassis e sucos. Já em outras festas, toma-se vinhos e outros tipos de bebidas alcoolicas. Em algumas aldeias não se bebe nada de álcool.

  37. O que quer dizer a expressão ditero beti?
    Essa é uma expressão usada na Índia por pais, avós ou mestres quando dão a bênção aos que falam com eles. É como no Brasil quando os pais ou avós dizem “Deus te abençoe, minha filha”.Ditero significa bênçãos e beti, filho. Depois dessa expressão usa-se na Índia algum mantra de paz, ou longevidade para quem está sendo abençoado. Existem diversos mantras (palavras sagradas) para saúde, riqueza, paz etc. Por exemplo, quando o filho está muito agitado, os pais colocam as mãos na cabeça dele e falam: “Ditero beta, Shanti, Shanti, Shanti”. Em outras situações, dizem outros mantras. Na maioria das vezes desejam que vivam cem anos.

  38. Como os indianos lidam com a questão da fidelidade?
    Dentro da cultura hindu é o homem que tem que satisfazer a mulher. Ela é a Sakti, a manifestação da mãe divina na terra, é a sua energia, e cabe ao homem ser fiel, apesar de muitos não terem a natureza de fidelidade, por isso eles fazem um juramento. Se acontecer de a mulher trair o homem, a culpa é dele por não ter adorado sua Sakti (esposa) de forma a satisfazê-la.Ou seja, na cultura hindu, se o homem trair, ele está cometendo perjúrio, o que é imoral e se a esposa o trair ou abandoná-lo, ele é humilhado por ser responsável por esse acontecimento. A mulher não tem que fazer nenhum juramento. Quando ela casa, é para toda a vida e, se ela quiser voltar para sua família de origem ou desejar outro esposo, a responsabilidade é do marido que não soube cumprir seu papel.

  39. O que significa a palavra Sahib?
    Sahib é uma palavra que os indianos aprenderam a usar com os ingleses, que colonizou uma boa parte da Índia por longos anos (mas não toda, pois existiam regiões independentes, colônias portuguesas e francesas). Em 1947, Gandhi, usando a estratégia do Ahimsa (não violência) livrou a Índia do domínio britânico.A Inglaterra explorou a Índia implantando o preconceito e a arrogância, mas ensinou a eles a língua inglesa, que ajuda o país na globalização. Os indianos chamavam os ingleses de Sahib que significa: senhor, patrão, superior, chefe etc. Esse hábito ainda continua a ser usado até como forma de subserviência entre patrão e empregado, superior e subalterno, como herança dos tempos de colônia inglesa. Porém, alguns indianos detestam ouvir e pronunciar essa palavra.

  40. Quem é Lord Ganesha?
    Essa é a divindade mais popular na Índia. Na entrada de todas as casas de hindus tem uma representação de Ganesha, pois ela tem a função de romper os obstáculos que impedem o progresso material e espiritual.Ganesha tem a cabeça como a de um elefante, a tromba abre os caminhos, retira os empecilhos que surgem em uma caminhada, e também funciona como um radar que sente os perigos que estão por vir. Ele é filho de Parvati e Shiva e tem atributos masculinos e femininos. Com essa dupla força, Ganesha tem o poder de vencer todos os obstáculos. Ele também é o escritor do Mahabharata, obra de sabedoria necessária para o progresso do ser humano. Ganesha é ao mesmo tempo forte e suave. Ele também é rápido, pois seu veículo é um ratinho. Ele adora um doce chamado Ladoo que é sempre representado em suas imagens e tem armas que o defendem dos inimigos de longa e curta distancia. Existem diversas histórias sobre Lord Ganesha que serão contadas ao longo da novela.

  41. Por que as mulheres usam uma tinta vermelha na divisão dos cabelos?
    Essa tinta é um pó chamado Kum Kum (mistura de alume, iodo, canfora e tumeric extraído do açafrão) que somente as mulheres casadas usam no meio exato da cabeça. Essa pintura demonstra que a mulher casada é a outra metade do seu marido. Um homem casado só se torna inteiro com a esposa. As mulheres casadas são chamadas de Ardhangini. Elas são mais respeitadas e nunca importunadas perante a sociedade.

  42. Quem não nasce hinduísta não consegue se tornar hinduísta?
    O hinduísmo mais apropriadamente chamado de Sanatana Dharma não é uma religião estruturada nos moldes das religiões como o catolicismo, islamismo, protestantismo, entre outras, que têm uma organização hierárquica com um papa ou líder que estabelece as regras a serem seguidas pelos adeptos.No hinduísmo não se tem a pratica da conversão. É uma filosofia de vida baseada em diversas interpretações do Vedas, Ramayana, Mahabaratha, Gita, e outras escrituras sagradas, onde se tem uma iniciação dada por um guru que diferencia cada ser como um universo a parte, com naturezas distintas e formas diferentes de buscar a liberação do ciclo das encarnações. Pessoas diferentes, métodos diferentes, linhas diferentes, o rótulo é o menos importante.Se a pessoa nasce em uma família hindu, é um hindu. Se nasce em uma família judia continua judeu. Se nasce em uma família cristã não tem a necessidade de trocar de rótulo. Poderá sim buscar conhecimentos em um guru hindu, ou budista, ou jaina, ou sik, ter diversas iniciações, mas o mais importante é o caminho que se trilha para a liberação de cada ser e não a mudança de rótulo. Para o hindu, a conversão é uma relação de poder. Ter mais adeptos não vai fazer chegar à liberação. Ninguém carregara ninguém. Os mestres são como placas na encruzilhada, só mostram os caminhos, cada um deverá seguir o seu. As atitudes, os pensamentos, as ações de cada ser, isoladamente, farão seu destino.

  43. Quem são as hijdras?
    Nem homens nem mulheres, como se diz na Índia: o terceiro sexo! As hijdras são castradas, em meio a uma cerimônia presidida por um sacerdote. Elas continuam a existir na Índia, e formam até uma casta. Também fazem parte do grupo os travestis operados.As hijdras têm seus templos, sua deusa, e cumprem rituais que celebram a passagem do corpo masculino para o feminino. A sociedade lhes confere poderes excepcionais: eles têm o dom de abençoar e trazer sorte aos recém nascidos e recém casados. Na crença popular esse poder vem do amor que acumulam dentro de si, porque como não podem constituir família, não têm a quem dedicá-lo.Assim, são convidadas para as festas para dar sua benção, cantar, dançar (cantam e dançam com excelência) e recolher dinheiro dos convidados, em troca de garantir o sossego local. Ninguém consegue ficar sem rir, pois são campeãs em humor. É muito auspicioso encontrá-las, mas negar dinheiro a uma hijdra é um risco terrível, porque elas nascem também com o poder de amaldiçoar.

  44. O que é o Festival das Luzes?
    Diwali é o maior festival dos hindus. Na Índia, ele é celebrado com muito entusiasmo e alegria, durante cinco dias corridos, sendo o terceiro dia o mais importante deles, quando é celebrado o Festival das Luzes. Nessa noite de nova, as casas ficam todas iluminadas e muito limpas. As pessoas vestem suas melhores roupas e joias, trocam presentes e comem deliciosos doces, tudo para receber a divina mãe da fartura e prosperidade, Laksmi, entrando no novo ano que se inicia.Um dia antes é feito um cerimonial de limpeza, a cera antiga do chão é raspada, as paredes são lavadas, os móveis são lustrados e os resultados do ano que se foi são apresentados, para abençoar o que está chegando com muita fartura e prosperidade. Ao fazer esse ritual de limpeza externa, faz-se a limpeza interna, eliminando as mágoas, os ressentimentos e perdoando aqueles que nos ofenderam. Fogos de artifício estão sempre associados ao Festival das Luzes. Esse festival é celebrado em cada parte da Índia. Em alguns lugares, como no Punjab, comemora-se a vitória e a volta da amada esposa do rei Rama, a divina Sita, que tinha sido sequestrada por Ravana, o rei do Sri Lanka. No Brasil, algumas pequenas comunidades indianas também comemoram esse dia acendendo velas por toda parte e iluminando as casas.

  45. Os indianos acreditam que podem reencarnar como animais?
    Há uma escala evolutiva que vai do mineral ao vegetal e do vegetal ao animal. Quando entra no reino dos humanos, começa uma nova escala evolutiva. Através do conhecimento, o ser humano vai evoluindo e se tornando menos animal em busca da infinita perfeição. Não existe nada nas escrituras que coloca o ser humano de volta à regressão animal. A tendência natural é a evolução e não a involução, mas costuma-se dizer, nas linguagens populares, como brincadeira ou até como forma de ameaça didática, “se continuar assim você vai voltar como um lagarto” ou “você quer voltar como uma formiga ou um gafanhoto? ”.Às vezes, na crendice popular, costuma-se dizer, em defesa dos animais, quando estão sendo maltratados: “olha que este cachorro que você espanca pode ser seu avô, heim? ” Mas isso é apenas retórica popular de ensinamentos, para lembrarmos que nascemos na terra para evoluir.

Fonte: Globo.com

1 comentários:

  1. Cara! Parabéns!! Foi uma grata supresa ter encontrado este blog com um contéudo tão proveitoso quanto este. Não tive outra coisa a fazer se não dar um CTRL+D. vou acompanhar com frequencia.O que é bom merece ser prestigiado.

    ResponderExcluir

Os comentários são Moderados: