Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

terça-feira, março 13, 2012

Gasoduto vai levar fibra ótica de internet ao interior do AM


Custo para o usuário final sairá por, no máximo, R$ 35/mega em Coari, Anamã, Anori, Codajás, Caapiranga, Manacapuru e Iranduba.


Foto: Shutterstock

MANAUS – Mais de 380 quilômetros de fibra ótica interligarão sete municípios do interior do Amazonas por meio de internet banda larga. Os cabos serão instalados na estrutura do gasoduto Urucu-Coari-Manaus e levarão a conexão à rede mundial de computadores às cidades de Coari, Anamã, Anori, Codajás, Caapiranga, Manacapuru e Iranduba.

A previsão da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Amazonas (Sect-AM) é a instalação do serviço no segundo semestre. O projeto prevê, além do compartilhamento de fibras da Petrobras e da Eletrobras, cobertura por satélite, além do contrato (já existente) com a Embratel, cuja rede liga Manaus a Porto Velho (RO).

usto para o usuário final sairá por, no máximo, R$ 35/mega em Coari, Anamã, Anori, Codajás, Caapiranga, Manacapuru e Iranduba.

 
No município de Iranduba (a 27 km de Manaus), especificamente, a expansão da internet pela banda larga será viabilizada por meio de convênio no valor de R$ 2,5 milhões, com a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Por meio desse convênio, será feita a instalação de 35 quilômetros de fibra ótica, que interligará a capital Manaus ao município vizinho.

Nos outros seis municípios, a novidade é viabilizada por meio de Acordo de Cooperação Técnica entre Sect-AM, Prodam, Telebras e Petrobras, alinhado ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). O início da implantação da banda larga no Amazonas foi anunciado pelo titular da Sect-AM, Odenildo Sena, durante o Fórum conjunto do Conselho Nacional de secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) e Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), realizado nesta quinta e sexta-feira, 08 e 09/03, em Curitiba-PR.

De acordo com o gerente de Planejamento Empresarial da Telebras, Erivan Paiva, o salto será de até 250 vezes na velocidade de tráfego na internet desses municípios. “A internet na Universidade Federal (Ufam) e Instituto Federal do Amazonas (Ifam) chegará a 1 giga byte de velocidade no interior, enquanto hoje contam com 4 megabytes de velocidade”, exemplificou Paiva.

Segundo ele, o impacto dessa iniciativa não é apenas social, mas econômico. “Estudo do Banco Mundial aponta um incremento de até 7% no PIB só com a implantação da Banda Larga”, afirmou. Paiva informou ainda que o custo para o usuário final sairá por, no máximo, R$ 35/mega byte.
 

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são Moderados: