Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

segunda-feira, outubro 09, 2006

Rodrigo diz ao TRE que é o dono do dinheiro

Fonte: Diário do Amazonas - 08 de outubro de 2006

O vice-prefeito de Coari, Rodrigo Alves da Costa, disse ontem que vai enviar ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) as justificativas para estar transportando R$ 218 mil, dinheiro que foi apreendido no município de Tefé, dia 28 de setembro. “Tudo vai ser esclarecido. Não restará uma dúvida sequer, pois sou um homem público e empresário. Tenho hábito de honrar meus compromissos”, reagiu o vice-prefeito alegando que tanto o custo da campanha quanto a origem do dinheiro são corretos e verdadeiros.

Ele adiantou ainda que não pretendia dar calote nos fornecedores de material e prestadores de serviço, que foram contratados para organizar o comitê, fazer pesquisas e divulgar naquela cidade suas propostas visando conquistar uma vaga na Assembléia Legislativa do Estado (ALE). “Por isso tive que levar aquela quantia de dinheiro. Por se tratar de outra cidade, onde não tenho conta bancária, os pagamentos devem ser feitos em dinheiro vivo”, explicou Rodrigo.



Costume

Ele esclareceu ainda que todos os candidatos tiveram gastos com as suas campanhas e tiveram que transportar grandes somas de dinheiro de diversas maneiras. “Faltavam apenas três dias para o dia da votação, eu não poderia andar com um talão de cheque pagando as pessoas – que a Justiça Eleitoral reconhece que é totalmente legal – que trabalharam na campanha e, portanto, tinham o direito de receber pelo trabalho”, disse.

De acordo com o vice-prefeito, o dinheiro apreendido era fruto de doação feita pelas construtoras Zacarias e Tercon. Ele adianta que a quantia foi devidamente contabilizada pela campanha e que seu envio aos municípios de Tefé e Manaus tinha por objetivo cobrir gastos com pessoal contratado e materiais de campanha.

Rodrigo afiança que a responsabilidade pela arrecadação e transporte do dinheiro são única e exclusivamente do comitê financeiro dele, “sendo injusta e inoportuna a tentativa de vincular-se terceiros ao fato”.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são Moderados: