Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, dezembro 30, 2009

Adail fala em recomeçar

Adail Pinheiro demonstrou serenidade, ontem, ao falar com jornalistas em frente a casa de seu advogado

Tereza Teófilo
Da equipe de A CRÍTICA


Depois de ficar 106 dias preso preventivamente no Batalhão da Cavalaria da Polícia Militar, no bairro D. Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus, o ex-prefeito de Coari (município distante 370 quilômetros da Capital) Manoel Adail Pinheiro (sem partido) disse que “pretende refazer sua vida e que sua prisão foi política”. As declarações foram dadas pelo ex-prefeito no início da tarde de ontem, após deixar as dependências da suíte com ar-condicionado que ocupava na unidade militar. No momento da soltura, Adail se mostrou sereno. Ele vestia uma camisa pólo na cor verde e calça preta. O ex-prefeito entrou rapidamente no carro dos advogados sem falar com a imprensa.

A liberdade de Adail se deu em função de Habeas Corpus concedido anteontem à noite pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. Desde o dia 15 de setembro, os advogados de defesa do ex-prefeito amargavam sucessivas derrotas judiciais. Ao todo, quatro recursos foram apresentados, dois no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) e outros dois junto ao Supremo (STF).

Adail foi preso no dia 14 de setembro por agentes da Polícia Federal, em Manaus. Sua prisão foi decretada pela  juíza Ana Paula Braga, da 2ª Vara da Comarca de Coari. A magistrada entendeu que Adail teria se mudado para Manaus e não teria feito qualquer comunicado à Justiça Estadual, onde responde a processos por exploração da prostituição infantil.

“Esses dias que fiquei preso eu pude pensar e repensar. A partir de agora eu só quero refazer a minha vida. Cuidar dos meus filhos, da minha família e seguir em frente. Quero me recompor e fazer uma avaliação desse episódio da minha prisão que foi política”, disse o ex-prefeito, ao concordar em falar com os jornalistas que o aguardavam em frente à casa do advogado Antônio Charles Ferreira, no conjunto Vila Municipal, bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul.

Adail Pinheiro já responde pelos crimes de prostituição infantil e estupro presumido. O ex-prefeito também foi indiciado em 37 crimes pela Polícia Federal (PF), em junho do ano passado, após conclusão da Operação ‘Vorax’, em que o ex-prefeito foi apontado como líder de uma quadrilha com mais de 40 pessoas, envolvendo empresários e servidores públicos. O grupo teria desviado mais de R$ 30 milhões em sonegação fiscal da Prefeitura de Coari.
 Fonte: ACrítica

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são Moderados: