Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, julho 29, 2011

Aniversário de Coari marcado por ações na área rural

O município de Coari, distante 363 kms da capital, cidade que fica no rio Solimões, entre o lago do Mamiá e o Lago de Coari, completará 79 anos de existência no próximo dia  2 de agosto. Nesta mesma data, no ano de 1932, a comarca de Coari era elevada a categoria de cidade. Segundo historiadores, Coari nasceu de uma aldeia indígena, fundada em princípios do século XVIII, pelo jesuíta Samuel Fritz. O Brasil descobriu Coari em 1986 quando seu nome tomou conta dos jornais com a descoberta de uma imensa jazida de petróleo e gás natural, cuja produção atual, somente de gás, já atingiu 10 milhões de m³/dia.
Coari veio a ocupar as manchetes de jornal novamente, em 2008, mas desta vez com notícias nada alvissareiras, desvios de recursos públicos, fraudes em licitação, sonegação fiscal e exploração sexual de menores. Os acusados eram na quase absoluta maioria, homens públicos de Coari. “Essa gente, que na sua maioria nem era de Coari, só veio para manchar o nome da nossa cidade”, lamenta o atual prefeito, Arnaldo Mitouso, eleito em setembro de 2009, após o TRE cassar o prefeito eleito e determinar novas eleições em Coari.

Começar de Novo
O prefeito diz que Coari está lutando para “ressurgir das cinzas”. Ele aponta problemas que não foram criados apenas por um grupo político que passou cerca de 10 anos no Poder e desviou recursos do munícipio, ou que não aplicou corretamente os recursos em investimentos para melhorar a qualidade de vida da população de Coari. Mitouso lembra que, a partir da descoberta do petróleo e do gás, Coari passou a ter as mazelas de cidades onde as pessoas chegam de todos os cantos, com a certeza de conseguir emprego e riqueza. “Houve um crescimento absurdo. Pessoas vieram de outros municípios e até de outros Estados. Uma ocupação desordenada, o surgimento de favelas, palafitas por todos os leitos dos nossos igarapés, como por e xemplo, do igarapé do Espírito Santo que corta a sede do município”, conta Mitouso.   
Com essa ocupação, destaca Mitouso, a consequência são problemas de saneamento básico, de saúde, déficit na educação, violência e muitos outros males próprios da falta de planejamento urbano. O que é dito por ele, através da experiência de quem nasceu e sempre viveu em Coari, é confirmado em estudos feitos pela Universidade Federal do Pará e pela Fundação universidade do Amazonas. Os registros populacionais dão conta de que a sede do município de Coari, em 1980, era ocupada por 14.787 habitantes, mas a partir das primeiras atividades relacionadas à extração de petróleo e gás natural, sua população de um salto, em 2005, para 49.633 pessoas, um crescimento de 300% em apenas 25 anos. Já a população total, camp o e cidade, no mesmo ano (2005) chegou a quase 85 mil pessoas e nos dias atuais, esse número não se modificou muito, com uma pequena redução para 79.909 pessoas que habitam Coari.
“Na prática, é só você ver que em Coari há 200 comunidades rurais, pessoas que por não acharem oportunidade na sede, se deslocaram para os beiradões e foram esquecidas por lá, sofrendo ano após ano, com a falta de água potável, de energia elétrica, educação e muitas outras coisas”, conta Mitouso

Aniversário na Área Rural
Essas explicações do prefeito de Coari, Arnaldo Mitouso, fazem entender porque sua escolha de intensificar ações na área rural, durante o mês de aniversário da cidade. No final de semana passado, ele esteve na comunidade são João do Paricá, lugar distante 3 horas de voadeira da sede do município, onde entregou escola e centro social reformados e a primeira biblioteca das escolas da Zona Rural (Marisa Almeida). Esse final de semana, ele estará na comunidade rural do Boam, um vilarejo bem mais próximo, há 30 minutos da sede, habitado por 40 famílias, dez delas receberão casas populares. Mitouso vai inaugurar a escadaria de acesso à comunidade, já que antes as famílias tinham que escalar os barrancos.
Ele também dará início ao trabalho de pavimentação das ruas, entregará o centro social e a escola que foram reformados. Fará a inauguração da quadra poliesportiva e entregará à comunidade uma casa de farinha dentro de padrões higiênicos, fruto de convênio que foi firmado entre Prefeitura de Coari e Governo do Estado, representado no município pelo Instituto de Desenvolvimento do Amazonas (IDAM). O prefeito vistoria os trabalhos da instalação da rede elétrica e hidráulica da cidade e entrega um gerador de 30 kwatts.
Na comunidade do Inajá, Mitouso entrega um centro social. Na sede de Coari, Mitouso firma parceria com o comando da Polícia Militar, coronel Cosmo, para dar melhores condições de trabalho aos policiais. “Eles já tiveram seu quartel, mas nem sei dizer como, um dos ex-administradores de Coari conseguiu tomar o quartel para transformar num ginásio e jogou os policias num cubículo, apertado e sujo”, critica Mitouso. Com recursos próprios, o prefeito está fazendo o caminho inverso, transformando um ginásio que se localiza na estrada do aeroporto, ponto estratégico por estar numa área onde houve aumento da violência, em quartel onde os PMs terão a estrutura certa para ações de segurança. “Esse será um aniversário dife rente, não só de festa, mas de trabalho e investimentos”, comemora Mitouso. 

1 comentários:

Os comentários são Moderados: