Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, maio 22, 2008

Prefeito estava em Brasília

Resultado de Busca - Edição No. 2391 de 8/12/2010

Caroline Pinagé/Free lance
Moradores foram para a frente do aeroporto de Coari manifestar sua satisfação com a Operação Vorax. Munidos de cartazes, agradeceram a série de prisões
Antônio Paulo

Da equipe de A CRÍTICA

Na véspera do cumprimento dos 26 mandados de prisão e de 70 buscas e apreensões, – última segunda-feira – determinados pela 2ª Vara da Justiça Federal do Amazonas contra pessoas ligadas à administração municipal de Coari, o prefeito Adail Pinheiro estava em Brasília. De acordo com o presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM) e prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Souza, Adail e outros 30 prefeitos do Amazonas participaram de assinatura de convênio com o Ministério da Educação. À noite, Adail participou de jantar com os colegas de Prefeitura e representantes do Ministério de Articulações Políticas.

Sintomático é o fato de que Adail Pinheiro, nos oito anos de mandato, raramente participou de solenidades em Brasília seja nos Ministérios ou no Palácio do Planalto. Pelo volume de recursos da Prefeitura de Coari, em virtude dos royalties – R$ 200 milhões entre 2002 e 2007 – sempre disse que não necessitava das verbas federais para executar obras e programas no Município.“Ele (Adail Pinheiro) aparentava tranqüilidade, apesar de saber que a Polícia Federal estava desde domingo em Coari e que havia rumores de operação sobre INSS, Fundef, as quais acontecem, muitas vezes, sem conhecimento do prefeito”, declarou o presidente da AMM.

Contrariando as declarações do prefeito Anderson Souza, um outro prefeito amazonense que pediu para não se identificar informou que Adail não estava nada tranqüilo e parecia bastante nervoso durante todo o dia em que ocorreram as solenidades e convênios com o Ministério da Educação.

Mesmo diante das prisões de uma irmã, cunhado, assessores e tantas outras pessoas ligadas à administração da Prefeitura de Coari, o presidente da AAM não quis fazer comentários sobre as suspeitas de envolvimento do prefeito Adail com as denúncias investigadas, desde 2006, pela Polícia Federal.

Ontem, logo cedo, rumores circulavam em Brasília de que a Polícia Federal do Distrito Federal estava à procura de Adail Pinheiro para cumprir mandado de prisão da 2ª Vara do Amazonas. Houve “campana” na porta da sede da PF e em hotéis onde, supostamente, o prefeito estaria.

Mas a Justiça Federal do Amazonas negou o pedido da Polícia Federal para expedir mandado de prisão contra Adail Pinheiro. O processo e as investigações não incluem o prefeito municipal de Coari porque que ele tem prerrogativa de foro, somente podendo ser investigado, no que diz respeito a crimes federais, pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

Movimentação

Após ter permanecido na capital federal durante toda segunda-feira, o prefeito Adail Pinheiro retornou ontem, no início da tarde, a Manaus. Ele ficou hospedado no Hotel Comfort Suítes Brasília, um dos mais luxuosos da cidade. Adail deu entrada na segunda-feira e saiu na manhã seguinte com a informação de que um de seus assessores em Brasília, Adriano Salam, havia sido preso na operação federal Vorax.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são Moderados: